Estamos parados na esquina do passado

       Não pretendia voltar atrás, porque admitir o erro cometido doía mais do que a falta que ele fazia em sua vida. Eram ambos orgulhosos, orgulhosos demais agora para verem que antes haviam sido jovens demais, e que os erros não eram erros. Não se permitiam pensar naqueles momentos agridoces que compartilharam, mas mesmo assim era a eles que recorriam quando precisavam de conforto.
       Não podia voltar atrás, estava presa ao passado. Às velhas fotografias em preto e branco, ao som da gargalhada dele, ao cheiro do pão quentinho, a alguma velha música que agora trazia nostalgia e que eles escutavam tanto naqueles dias. Não podia voltar atrás, mas dizer que queria seria eufemismo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s