Partidas e o que as motivam.

       E parto agora da minha pátria amada, meu berço gentil, meu pátio amado. Não saio feliz, não saio de coração leve. Ao contrário. Ele se encontra mais pesado que minha consciência, se é que isso é possível.
       Mas não consigo lidar com a minha bagunça, da mesma forma que não consigo domar os meus cabelos revoltados pela manhã. Não consigo olhar para os meus erros, mesmo que eles há muito não passem de rasuras em páginas passadas no caderno da minha vida. Não consigo enfrentar os meus fantasmas, mesmo que eles não existam. Não consigo olhar nos olhos das minhas vítimas, mesmo que elas não se sintam vitimadas.
       Mas parto. E não há nada que alguém possa impedir.
       Minha alma já não mais está aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s