Garotas não são complicadas. Gostamos de gentilezas, boa educação, bom humor… Isso é basicamente tudo o que procuramos em um garoto. O problema é que a maioria de você procuram em uma mulher beleza e facilidade na hora do beijo. Não estamos julgando, também procuramos beleza em vocês. Só nos desculpe se não queremos ser sua proxíma garota descartável, pra não dizer outra palavra.

A garota andou pela rua. Andou. Andou. E nunca aparentou cansaço. Um garoto de repente vira a esquina, e tromba com ela. Ela vai ao chão. O garoto estende a mão para ajudá-la a se levantar.
-Obrigada – Ela diz – É bom saber que o cavalheirismo não morreu. Ou, pelo menos, a boa educação.
O garoto ri.
– Obrigada pelos elogios, mas não sei se sou digno deles. Eu levei você ao chão primeiramente, não se lembra? – Ele responde.
A garota também ri
– É, mas isso acontece o tempo todo. Eu ando muito por essas ruas, e já levei empurrões, chutes, tapas, mas as pessoas não se incomodam nem de olhar para mim, quanto mais se desculpar e me ajudar, como você fez.
– É, eu vi que você anda bastante por aqui. Posso fazer uma pergunta?
– Outra, você quer dizer?
– Sim.
– Claro.
– Por que você anda tanto por aqui? Eu te vejo todo dia.
– Eu ando… Porque tento esquecer.
– O que?
– Uma pessoa. Uma pessoa que eu gosto.
– Gosta?
– Não, eu a amo.
O garoto apanha a mochila que tinha colocado no chão quando foi ajudar a garota a se levantar e dá as costas. Vira-se novamente e diz:
– Boa sorte com esse. Tentar esquecer alguém que você ama é tão fácil quanto tentar se lembrar de alguém que você nunca conheceu.
E dito isso, vai embora.

Você se lembra quando me ensinou a andar de cavalo? Primeiro eu não conseguia nem subir no cavalo, e quando finalmente subi (depois de uma pequena ajuda sua, claro) não conseguia encontrar uma posição confortável. Escorregava, machucava a mim e ao cavalo. Não foi fácil. Depois disso, ainda tive de aprender a lidar com o cavalo em si. Foi chato, irritante, cansativo para mim, para você e para o cavalo. Eu cheguei até a cair de cima dele. Mas, quando estava sempre perto de desistir, você me puxava e dizia que eu deveria tentar de novo. Quando eu pensava: “não, agora eu não aguento mais, não quero nunca mais ver um cavalo na minha vida” você me dizia que a esperança era a última que morria, e que não deveria desistir. Hoje, se sei alguma coisa, aprendi de você. Não em relação a cavalos, eu não consigo me manter sentada em um e provavelmente nunca conseguirei. Mas aprendi muito sim, em relação a vida. Aprendi a não desistir, a me esforçar, e que quando eu achar que eu não tenho mais nada dentro de mim para continua a lutar, eu consigo mais. Eu sou o que sou, e o que sou devo a você. Obrigada, pai.

“Apaixonar-se é como a chuva. É imprevisível, mas sempre existem sinais antes que ela caia completamente. “

Olá. Meu nome não importa. Só basta você saber que eu sou eu. Minha idade, meu sexo, meus gostos, mes sonhos, minhas desilusões, nada disso não importa e, na verdade, não te interessa. Só basta você saber que eu não planejava me apaixonar. Eu pretendia viver a minha vida plenamente feliz sem a intrusão de um alguém em sentido amoroso, e estava realizando o meu plano. Mas o amor é como a chuva. Por mais que você queira fugir, se esconder, sempre acaba molhado. E, após algum tempo, encharcado. E quer saber? A única coisa da qual me arrependo é não ter me aberto para o amor antes.

But I need you now.


Desculpe-me por ter sido uma boba. Desculpe-me por ter magoado os seus sentimentos. Desculpe-me por ter te deixado desconfortável. Desculpe-me por ter sumido da sua vida. Desculpe-me por fingir que você não existia. Desculpe-me por fazer você pensar em mim. Desculpe-me pelos maus momentos. Desculpe-me pelos bons momentos. Desculpe-me por ter me apaixonado por você. E mais importante, desculpe-me por ter te feito sentir o mesmo.




E assim como a lua era apaixonada pelo sol, assim como o Ying é apaixonado pelo Yang, assim como o branco sempre foi apaixonado pelo preto, assim como o mar ama o céu, e te amei. Mas precissei fingir que não gostava de você. Agia como se não gostasse de te ter por perto, e as vezes até te ignorava. Foi a coisa mais difícil que já fiz. Não, a coisa mais difícil que já fiz foi mentir dizendo que gostava de outra pessoa. Ver o olhar que me deu, ver a tristeza dos teus olhos e até mesmo no teu corpo foi o fim. Meio segundo depois, seu corpo estava normal, seu sorriso estampado no rosto novamente, parecia-me até que o seu cabelo ria de uma piada contada pelo sol. Mas eu te conhecia bem demais. E, além do mais, podia ver os seus olhos. Os olhos contam segredos que o coração tenta esconder, não é? Mas eu soube esconder bem demais os meus sentimentos por você, assim como você deveria ter escondido a tristeza dos teus olhos naquele momento. Foi triste o bastante para eu querer me matar. Tristeza é uma coisa que não combina com você. Quando você ri, as folhas das árvores gargalham junto, o sol aparece, e é como se estivesse em um sonho. Agora, você está com outra. E posso ver o quanto você está feliz com ela. E é por isso que eu continuo fingindo que você não está mais em mim. É, estar. Você não mora no meu coração, você É o meu coração. Pois deixe-me te contar um segredo: Nunca ouve outro alguém. Eu sempre quis você.