Sobre não ser o suficiente

  Desculpe, mas é uma mentira. Eu sou, sim, o suficiente. Sou mais do que o suficiente. Sou necessária. E quer saber? Cansei. Cansei de pessoas que não dão valor ao tempo e energia que eu invisto na nossa relação. Cansei de oferecer honestidade e um ombro amigo para ser ignorada e maltratada. Eu mereçoContinuar lendo “Sobre não ser o suficiente”

Minha carta de despedida

Eu espero que você nunca se sinta assim. Eu espero que seus cabelos cresçam e você desconheça a compulsão de prendê-los porque alguém acha que eles ocultam seu rosto. Eu espero que você receba um sorriso da face que te olha no espelho sem que os olhos daquela menina te assustem. Eu espero que vocêContinuar lendo “Minha carta de despedida”

O que você quer ser quando crescer?

O que eu quero ser quando crescer? Feliz. Muito feliz. Tão feliz, que quando as pessoas me virem elas fiquem felizes também. Profissão pouco importa. Quantas vezes, desde criança, eu não vi médicos e advogados com uma cara de tristeza que me assustava mais que o monstro no meu armário? Dinheiro no bolso não trazContinuar lendo “O que você quer ser quando crescer?”

Sunrise

E quando o relógio sinalizou doze horas, mil sinais de alarme soaram na minha cabeça. O impulso de sair correndo dominou-me, mas meus joelhos estavam fracos demais para me sustentar. Portanto, permaneci sentada, olhando nos seus olhos, ouvindo o que você tinha a dizer. Eram só ilusões, eu sabia. Fogos de artifício que só serviamContinuar lendo “Sunrise”

Soneto de um amor platônico

Essa semana fiz uma limpeza nos papeis que guardava a muito tempo numa caixa no fundo do meu armário, e qual não foi a minha surpresa em encontrar textos há muito esquecidos e que mereciam serem postados aqui. Esse abaixo é o primeiro que achei que valia a pena postar, um soneto para alguém por quemContinuar lendo “Soneto de um amor platônico”

Aquela vez em que um colar mágico protegeu um dos meus melhores amigos.

Eu tenho um amigo de longas datas chamado Iuri. Quando digo “de longas datas”, é porque é de longas datas mesmo. Tenho foto com Iuri no meu aniversário de um ano de idade, e apesar de não ter convivido com ele por algum tempo após sairmos do berçário onde ambos estudávamos, hoje em dia eleContinuar lendo “Aquela vez em que um colar mágico protegeu um dos meus melhores amigos.”

Sobre as borboletas no estômago…

… eu não acreditei que elas viriam. O que é o amor pra uma adolescente com alma de criança? Algo que te empurram garganta abaixo em filmes açucarados e livros um pouco chorosos demais, que eu só lia para rir. Eu não sabia que um dia suaria frio, que não saberia o que dizer, eContinuar lendo “Sobre as borboletas no estômago…”