Canção pra você (não) ouvir

  Eu acho que não queria te ofender. Digo que acho, porque realmente tenho certeza de poucas coisas na minha vida. Tenho certeza que vivi. Tenho certeza de que morrerei. E tenho certeza de que em algum momento, me apaixonei por você. Sei que pensas que não é verdade. Sei que tomas-me por mentiroso. Mas,Continuar lendo “Canção pra você (não) ouvir”

Desabafo aleatório e plural

Preciso de um emprego.Por todas as razões óbvias que ninguém nunca pensou em explicitar.Preciso do papel que move o mundo:dinheiro.Só que não.Não preciso dele.Preciso de um trabalho remunerado que me traga desprazer.Tristeza.Cansaço.Depressão.Preciso de uma saúde precária para reclamar dos pulmões nas mesas de café(já não tenho mais o que falar).Preciso de um salário baixo,pra poderContinuar lendo “Desabafo aleatório e plural”

Os créditos sempre rolam quando o filme chega ao final.

      O caso era sério.Era o cansaço, a tristeza que batia no fim de semana.O passado que voltava à noite.Os fantasmas, os zumbis das pessoas amadas. Ela fingiu não mais amar.Ela fingiu não se importar.Ela fingiu e fugiu. Já não era mais a mesma.O abandono, o descaso, tudo e todos a consumiram eContinuar lendo “Os créditos sempre rolam quando o filme chega ao final.”

Os Arquivos do Passado

Há confusão na floresta. Floresta do bicho homem. Um rastro, Rastro de sangue, Foi encontrado. Não há água que lave a mancha da grama. Borracha que apague a lembrança. O burburinho começa, Como sempre há de começar. O povo espera. Aguarda. Dias. Meses. Anos. O rastro hoje, já é velho. Novidade mais não é. NãoContinuar lendo “Os Arquivos do Passado”