Ode às pessoas

Essa manhã, gostaria de homenagear todos aqueles por quem passo na rua e nunca nem olhei duas vezes. As pessoas, ah, as pessoas! Tão apressadas, tão relaxadas! Tão capazes de incitar os sentimentos mais diversos sem nem falar uma sílaba. Pena, raiva, carinho… Eu sou uma amante da humanidade, apesar dos pesares. Apesar dos pesares,Continuar lendo “Ode às pessoas”

Sobre crescer

Sou grande demais para o balanço. Mas isso não me impede de sentar e lembrar da época em que minhas pernas ainda eram curtas: minha felicidade, muito mais fácil de ser alcançada – com os pés fora do chão. Eu sempre fui uma sonhadora (sou pisciana, afinal), e quando não estava escondida atrás de livros, estavaContinuar lendo “Sobre crescer”

Só vale a pena amar se for recíproco

  Você sabe que há algo errado pela maneira que seu coração bate displicentemente, sem se importar com a rotina. Seu sangue, contudo, parece correr mais depressa, ansioso para chegar em algum canto esquecido do seu corpo. Sua cabeça permanece ignorada, e é difícil se concentrar em um só ponto. Quem é você?, eu me pergunto,Continuar lendo “Só vale a pena amar se for recíproco”

O fim do mundo

Ah! Se o fim do mundo fosse um ataque de zumbis, ou mesmo um cometa que chegasse e destruísse tudo de uma vez só. Se fosse uma invasão alienígena, ou um super vírus que dizimasse todas as nações em um segundo… Como seríamos sortudos, não? Morrer rapidamente, morrer inocentemente. Morrer pela mão de terceiros, mártiresContinuar lendo “O fim do mundo”

Turistas

Li certa vez um artigo na aula de francês que dizia, em um determinando momento, que “turistas são os outros”.  Houve uma breve discussão na aula sobre a definição de “outro”, ao que todo mundo prontamente concordou que se tratava daquele que vinha de outro país, de outro estado, as vezes até de outra cidade.Continuar lendo “Turistas”